Sarampo

 

 

O que é

 

Conhecido pelas manchas avermelhadas que se espalham pelo corpo, o sarampo é uma doença infecciosa potencialmente grave e contagiosa¹, provocada pelo Morbili vírus². Até o final dos anos 70, era uma das principais causas de óbitos por doenças infecto-contagiosas, principalmente entre crianças menores de cinco anos¹.

 

Quem está sob risco

 

A maioria dos casos de sarampo ocorre no final do inverno e início da primavera. É mais grave quando atinge desnutridos, recém-nascidos, grávidas e portadores de imunodeficiências, pois esses grupos são mais suscetíveis a complicações decorrentes da doença, como diarreia e pneumonia.³ Gestantes com sarampo podem sofrer aborto espontâneo ou parto prematuro. No entanto, não são conhecidos casos de má formação congênita associada à doença. O sarampo também pode agravar quadros de tuberculose em pessoas que não estão sob tratamento.³

 

Sinais e sintomas

 

O tempo entre o contágio e o aparecimento de sintomas (período de incubação) pode variar de 7 a 18 dias¹. Em geral, os primeiros indícios do sarampo são febre acompanhada de tosse persistente, irritação ocular, coriza⁴, perda de apetite e mal estar². As manchas características, chamadas de exantema maculopapular eritematoso, aparecem alguns dias depois, primeiro no rosto e progredindo em direção aos pés². Outros sintomas podem surgir posteriormente, caso não se inicie o tratamento, como conjuntivite e manchas brancas na parte interna das bochechas (exantema de Koplik)². Em pessoas mais suscetíveis a complicações, como recém-nascidos e imunodeprimidos (indivíduos com sistema imunológico deficiente), o vírus do sarampo pode desencadear diarreias, otites (infecção nos ouvidos), encefalites, pneumonia (pelo próprio vírus ou por agentes infecciosos secundários), convulsões e lesões cerebrais⁴.

 

Transmissão

 

A doença é altamente contagiosa. Cerca de 90% das pessoas com baixa imunidade que entram em contato com um caso da enfermidade pegam sarampo³. A transmissão ocorre de pessoa para pessoa por meio do contato direto com secreções respiratórias (tosse, espirros, gotículas de saliva) contaminadas⁴.

 

Prevenção

 

A prevenção do sarampo pode ser feita através da vacinação¹,²,⁵ e ao evitar contato direto com pessoas portadoras da doença¹.

 

Tratamento

 

Geralmente, o sarampo é uma doença autolimitada, ou seja, o organismo se cura naturalmente. Portanto, o tratamento geralmente é dirigido para aliviar os sintomas e envolve repouso. Somente em alguns casos há necessidade de tratamento com medicamentos prescritos conforme orientação médica para o reforço da imunidade². Problemas decorrentes, como diarreia, pneumonia e otite, devem ser tratados separadamente¹.

 

Para acessar as referências bibliográficas desta seção, clique aqui

 

PREVINA-SE, NÓS APOIAMOS ESTA IDEIA

Rua Domiciano Santana, 270 | Bairro Água Branca | Avaré-SP

Telefone: 14 3731-3251 - Celular:  14 99832-3006  - 14 99128-9439

 

© 2016 Clínica e Imunológica São Luís - Todos direitos reservados