Rubéola

 

 

O que é

 

A rubéola é uma doença infecto-contagiosa causada pelo Togavírus. Por conta das manchas vermelhas, é comum ser confundida com o sarampo e a catapora¹.

 

Quem está sob risco

 

A doença acomete principalmente crianças entre 5 e 9 anos, embora possa afetar adultos². Gestantes com rubéola integram um grupo de risco especial, pois nesse caso pode haver parto prematuro ou aborto, além de sequelas graves para o feto, entre elas má formação e surdez².

Casos de rubéola são mais comuns no fim do inverno e início da primavera³.

 

Sinais e sintomas

 

Após o contágio, a doença mostra seus primeiros sinais característicos depois de 14 a 21 dias, durando em média 17 dias (período de incubação)⁴. Os sintomas iniciais incluem febre baixa, dor de cabeça e no corpo, incômodo para engolir, coriza, surgimento de gânglios (caroços) e manchas rosadas que se espalham primeiro pelo rosto e depois pelo resto do corpo¹.

 

As complicações com a rubéola são raras, mas podem ocorrer com maior frequência em adultos, destacando-se artrite ou artralgia, encefalites (raramente, um em cada cinco mil casos) e manifestações hemorrágicas (também raro, um para cada três mil casos)⁴.

 

Na forma congênita, de mãe para filho, a rubéola apresenta-se como grave. A doença pode deixar sequelas irreversíveis na criança, tais como problemas de visão (glaucoma e catarata, por exemplo), má-formação cardíaca, retardo no crescimento e surdez².

 

Transmissão

 

O contágio ocorre de pessoa para pessoa pelas vias respiratórias, por meio da aspiração de gotículas de saliva ou secreção nasal. A pessoa infectada pode transmitir o vírus por um período de cinco a sete dias depois do aparecimento das manchas avermelhadas na pele⁵.

A transmissão por contato com objetos recém-contaminados por secreções de nariz, boca, garganta ou sangue, urina e fezes dos pacientes pode acontecer, mas é pouco frequente².

 

A doença pode ser transmitida também da mãe para o feto, por meio da placenta. A criança que adquire a chamada rubéola congênita elimina o vírus pela urina e por secreções nasofaríngeas por um período de mais de um ano, sendo maior nos primeiros meses de vida⁵.

 

Prevenção

 

A imunidade contra rubéola é adquirida pela vacinação ou pela infecção natural, sendo duradoura nos dois casos².

 

Tratamento

 

O tratamento para rubéola é sintomático³. O paciente deve apenas aguardar a eliminação do vírus naturalmente pelo organismo. Nesse período, é recomendado o repouso durante o período crítico da doença e, para aliviar os sintomas, o médico pode prescrever medicamentos¹.

 

Para acessar as referências bibliográficas desta seção, clique aqui

 

PREVINA-SE, NÓS APOIAMOS ESTA IDEIA

Rua Domiciano Santana, 270 | Bairro Água Branca | Avaré-SP

Telefone: 14 3731-3251 - Celular:  14 99832-3006  - 14 99128-9439

 

© 2016 Clínica e Imunológica São Luís - Todos direitos reservados