Gastroenterite por Rotavírus

 

 

O que é

 

O rotavírus é um vírus pertencente à família Reoviridae, gênero rotavírus¹, que atinge o estômago e o intestino delgado, causando gastroenterite aguda (diarreia). Existem sete sorotipos diferentes da doença, e por conta dessa variedade, uma pessoa pode ser contaminada mais de uma vez².

 

Quem está sob risco

 

A infecção pode ocorrer em qualquer idade, mas é mais comum e intensa em crianças²; sendo a principal causa de diarreia até os 5 anos de idade³. Geralmente as crianças são infectadas nos primeiros anos de vida pelo rotavírus, mas é até os 2 anos de idade que costumam ocorrer os casos mais graves³. Adultos também são suscetíveis à doença, principalmente se forem idosos, viajantes, imunodeprimidos ou estiverem cuidando de crianças infectadas⁴.

 

Sinais e sintomas

 

Depois que a pessoa foi contaminada pelo rotavírus, os sintomas demoram de um a três dias para aparecer (período de incubação). A doença costuma começar subitamente com vômitos, e partir daí evolui para diarreia aquosa e febre⁴. A gastroenterite (irritação do estômago e intestino delgado) costuma causar forte desidratação, mas os sintomas regridem em torno de três a sete dias⁴. Graças aos anticorpos da mãe, o rotavírus em geral não provoca sintomas em crianças recém-nascidas. Já após três meses de idade, os sinais podem começar a se manifestar⁴. É comum haver reinfecção pelo vírus, mas a cada novo contato a gravidade dos sintomas diminui³.

 

Transmissão

 

A principal via de transmissão do rotavírus é a fecal-oral, por meio da ingestão de alimentos ou líquidos contaminados. Pode haver também o contágio ao se levar a mão contaminada à boca³.

 

Prevenção

 

Além de cuidados básicos de higiene, como lavar as mãos antes de comer e após ir ao banheiro, a vacinação é a única medida eficaz na prevenção da gastroenterite por rotavírus³.

 

Tratamento

 

Não existem medicamentos específicos para combater a infecção por rotavírus. A principal medida deve ser oferecer bastante líquido, soro fisiológico ou caseiro e alimentação normal à criança, com o intuito de repor constantemente os líquidos e nutrientes perdidos nos vômitos e nas evacuações². O maior risco da doença refere-se à desidratação, que se não for tratada pode levar à complicações mais graves³.

 

Para acessar as referências bibliográficas desta seção, clique aqui

 

PREVINA-SE, NÓS APOIAMOS ESTA IDEIA

Rua Domiciano Santana, 270 | Bairro Água Branca | Avaré-SP

Telefone: 14 3731-3251 - Celular:  14 99832-3006  - 14 99128-9439

 

© 2016 Clínica e Imunológica São Luís - Todos direitos reservados