Poliomielite

 

 

O que é

 

Poliomielite, pólio ou paralisia infantil é uma doença contagiosa aguda causada pelo poliovírus¹, que abalou vários países principalmente nos primeiros ¾ do século XX².

 

Quem está sob risco

 

A poliomielite é mais frequente em crianças de até quatro anos, mas adultos não estão livres do risco. Crianças pequenas com higiene precária estão mais suscetíveis³. Com a vacinação infantil sistemática, a doença foi erradicada em muitos países. No Brasil, o último caso foi registrado em 1984. No entanto, o vírus segue ativo em alguns países da África e da Ásia⁴.

 

Sinais e sintomas

 

A pólio pode ser assintomática. Quando surgem os sintomas, combinam um quadro de doenças virais comuns e infecções gastrointestinais, provocando febre, dor de garganta, náuseas, vômitos, constipação e dor abdominal³. Cerca de 1% dos pacientes infectados desenvolvem a forma paralítica da doença, que geralmente deixa sequela permanente em um ou ambos os membros inferiores. O membro mantém a sensibilidade, mas perde força muscular, reflexos e pode haver deformação³, tornando obrigatório o uso de suportes para locomoção. A implicação mais grave da doença ocorre quando as células dos centros nervosos que controlam os músculos respiratórios e da deglutição são atingidos. Nesse caso, a pólio pode causar asfixia e ser fatal¹. Posteriormente, com intervalo que pode chegar a décadas, as pessoas infectadas, mesmo depois de tratadas, podem desenvolver a síndrome pós-pólio, caracterizada pelo enfraquecimento progressivo dos músculos e fibras lesadas anteriormente⁵.

 

Transmissão

 

O período de incubação do poliovírus varia de 5 a 35 dias, sendo mais frequente o intervalo de 7 a 14 dias¹. A transmissão se dá de pessoa para pessoa, através de gotículas expelidas ao falar, tossir ou espirrar, ou por contato direto ou com objetos, líquidos ou alimentos contaminados por fezes de pacientes infectados³. Mesmo pacientes assintomáticos eliminam o vírus³.

 

Prevenção

 

A forma mais eficaz de prevenção é através da vacinação⁶. Como a transmissão se dá também pela via oral-fecal, programas de saneamento básico, manutenção da higiene e asseio pessoal e cuidados com o preparo de alimentos e bebidas são importantes para evitar o contágio³.

 

Tratamento

 

Não há tratamento específico para a poliomielite, apenas a conduta de suporte de acordo com a evolução do quadro clínico¹. Alguns cuidados são recomendados para controlar as complicações e reduzir a mortalidade, entre eles repouso absoluto nos primeiros dias, com troca frequente da posição do paciente na cama para prevenir o surgimento de escaras, tratamento da dor, febre, problemas urinários e intestinais, de acordo com orientação médica, além de acompanhamento ortopédico e fisioterápico para os músculos atingidos¹.

 

Para acessar as referências bibliográficas desta seção, clique aqui

 

PREVINA-SE, NÓS APOIAMOS ESTA IDEIA

Rua Domiciano Santana, 270 | Bairro Água Branca | Avaré-SP

Telefone: 14 3731-3251 - Celular:  14 99832-3006  - 14 99128-9439

 

© 2016 Clínica e Imunológica São Luís - Todos direitos reservados